quarta-feira, 21 de março de 1984

Labirinto

No labirinto do pensamento
Caminhos se cruzam
Desejos se confundem
Momentos se unem
Sentimentos se distanciam
Vícios me desviam
Palavras me perseguem
Temores me seguem
Nos corredores da solidão
A minha vida se passa
A procura de uma saída
É uma busca infinita que não tem graça
O tempo, o principal inimigo
Não tem tempo pra parar
Nem me dá alguns segundos
Pra no caminho pensar
E a correria prossegue
Entre os becos da imaginação
Que se tornam mais estreitos
Até não ter mais becos não
E então fico encurralado
E o meu labirinto chegou ao fim
]não encontro jamais a saída
Porque não sou eu que tenho
Que sair do labirinto
É o labirinto
Que tem que sair de mim. Roberto / 84

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...