terça-feira, 23 de março de 1993

Poema Abstrato

Com esta caneta mágica
Te escrevo um poema
Que não fale de mágoas
Que não tenha um tema.
Poema abstrato
Sem rimas e sem métrica
Com palavras absurdas
Sem qualquer estética
E a caneta desliza
Tão suave no papel
São palavras ligeiras
Que te tocam devagar
Como se quisessem demonstrar
Outra forma de amor
Amor esse quase eterno
Que ficará guardado
Nas folhas de um caderno
Que talvez nunca sejam lidas
Mas que pra mim
Foram mais que sentidas.

Roberto 23 / 03 / 93

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...